O que é ZEN

A palavra Zen é usada em português no sentido de ficar sossegado, relaxado, numa boa. Mas isso tem pouco a ver com o verdadeiro Zen:

Ficar sentado ereto, silencioso e atento, sem querer alcançar ou segurar qualquer coisa, simplesmente apenas apontar sua atenção completa a aquilo que se está fazendo nesse momento. Essa é a postura do despertar, Zazen, a prática fundamental do Zen, como tem sido transferida há milênios. Independente de religião, cultura e capacidades pessoais, o Zen conduz o ser humano de volta para seu estado original e normal.

O que não pode nem ser compreendido pelo intelecto, nem explicado através de palavras, é objeto da prática. Na prática do Zazen (za = sentar, Zen = meditação) torna-se evidente a unidade de corpo e mente. Automaticamente, de maneira inconsciente e natural, essa experiência exerce influência sobre o homem por inteiro. Sem ser filosofia, religião ou terapia, o Zen abre o acesso para a fonte de religião e filosofia. Na percepção atenta de corpo e mente encontra-se a raiz dos valores que caracterizam uma autêntica vida humana.

Para praticar Zazen, senta-se sobre um zafu (uma almofada grossa e redonda) e cruzam-se as pernas, de modo que os joelhos tenham firme contato com o solo. A coluna fica ereta, a nuca estendida, o queixo levemente retraído. A mão esquerda repousa na mão direta, os polegares tocam-se com uma leve pressão. A atenção direciona-se à expiração, que se torna pouco a pouco calma, longa e profunda. Relaxado sem ficar mole, concentrado mas não contraído, imóvel mas ao mesmo tempo altamente ativo - quando se fica assim concentrado de momento a momento, os pensamentos se acalmam e a mente se abre em todas as direções.

Veja também o texto "Breve história do Zen-Budismo".


www.000webhost.com